domingo , dezembro 16 2018
Capa / Cadeias Produtivas / Arte & Cultura / Um divórcio entre escola e comunidade
Um divórcio entre escola e comunidade

Um divórcio entre escola e comunidade

RESUMO:

Este trabalho apresenta dados de uma pesquisa etnográfica que teve como lócus a pequena comunidade de Bananal (pouco mais de 11 mil habitantes), localizada no Vale do Rio Paraíba do Sul. Historicamente, Bananal se consagrou como uma das principais produtoras de café no século XIX, chegando a ter o título de “terra dos Barões do Café”. Inicialmente, a pesquisa investigou entre os estudantes de ensino fundamental da localidade o imaginário popular sobre uma personagem característico do “folclore” no país: o Saci. Os pesquisadores perceberam que para além dos muros da escola local, havia contos, lendas, artes de cura, músicas e danças, que são algumas das tradições e marcas da identidade da população negra vinda para o Brasil – no que se convencionou como a diáspora africana. Esses povos não trouxeram o que se chama até hoje de “padrões culturais diferentes”, mas sim uma visão de mundo que se verificou no agir cotidiano desta pequena comunidade – cercada pelas exuberantes paisagens de Mata Atlântica da Serra da Bocaina –, criando ali um conjunto de saberes que estão preservados nas memórias de seus habitantes. A partir dos dados coletados observam-se práticas, técnicas, artes e saberes que perduraram por muitas gerações através de mestres de ofício, tais como: as benzedeiras ou curandeiros, as parteiras, os foliões, os jongueiros e os calangueiros. Estes conhecimentos, adquiridos no seio da comunidade por seus habitantes, permanece nas memórias individual, familiar e coletiva e sugere como a cultura tradicional e afrobrasileira criou formas de resistência ao longo do processo histórico-cultural ocorrido na região. No cotidiano do sistema escolar, a cultura afrobrasileira foi marginalizada, porque entre outras coisas o currículo na educação escolar, ainda hoje, se mantém eurocêntrico e reproduz ideologias perversas para a vida na comunidade. O cenário de Bananal foi ideal para partir da história oral, reconstruir a memória de uma parte da população local e do Jongo, trazendo à tona a história dos negros no Brasil.

Como citar este documento

VITORINO, Diego da Costa. Um divórcio entre escola e comunidade?: Bananal/SP, um laboratório a céu aberto no Vale Histórico do Rio Paraíba do Sul. 2014. 248 f. Tese (doutorado) - Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Faculdade de Ciencias e Letras (Campus de Araraquara), 2014.
Link para Download :http://wwws.fclar.unesp.br/agenda-pos/educacao_escolar/3328.pdf

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*